Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 8 de março de 2011

Katmandu - S/T [1991]

Qualquer semelhança da capa com Guilty, o Cavaleiro do Diabo, é mera coincidência.

O Katmandu tomou forma em 1990, depois que o vocalista Dave King, até então no Fastway, atendeu ao chamado de David Geffen para assumir o microfone naquele que seria o novo supergrupo do Hard/Heavy norte-americano. Chegando aos Estados Unidos, King foi introduzido ao núcleo que já contava com o experiente Mandy Meyer (Cobra, Krokus) na guitarra, Caine Carruthers (The Untouchables) no baixo e Mike Alonso (The Meanies) na bateria. A sintonia entre vocalista e guitarrista se deu de forma satisfatória, rendendo sete canções para o vindouro álbum do quarteto.

Katmandu chegou às lojas em 1991 trazendo 12 músicas e pouco mais de 50 minutos de Hard Rock influenciados por Led Zeppelin, em especial, nos vocais de King. Já Carruthers e Alonso não negam seus dias de Punk Rock e ditam o ritmo perfeito para Meyer mandar ver em riffs e solos dos mais furiosos, como nos singles The Way You Make Me Feel e When the Rain Comes, que contam com doses generosas de improvisação. Minhas prediletas, Ready for the Common Man, Only the Good Die Young e Medicine Man são total anos 80 e pedem volume máximo em seus refrões grudentos.

Foto promocional incluída no press kit (1991)

A rural Heart and Soul, que soa como uma sobra de Led Zeppelin III, promete cativar por sua simplicidade. Há ainda um cover para a obscura God Part II, do U2, que faria Bono Vox pegar seu banquinho e sair de mansinho. Por fim, Sometime Again e Let the Heartache Begin competem pelo prêmio de power ballad do álbum – aí vai da preferência de cada um, mas já adianto que a segunda possui o melhor solo de guitarra de todas as músicas.

Sem sucesso nas vendas e nenhum hit nas paradas, o Katmandu encerraria suas atividades em 1992. Dave King recolheria suas canções – escritas para o lançamento posterior do grupo –, voltaria para o Reino Unido e formaria o Flogging Molly em 1997. Mandy Meyer também voltaria a sua terra natal, a Suíça, para integrar o já ativo Gotthard e à cozinha, ao que tudo indica, restou ganhar a vida cozinhando mesmo.

01. The Way You Make Me Feel
02. God Part II
03. Love Hurts
04. Sometimes Again
05. When The Rain Comes
06. Heart And Soul
07. Ready For The Common Man
08. Only The Good Die Young
09. Let The Hearteache Begin
10. Medicine Man
11. Pull Together
12. Warzone

Dave King – vocais
Mandy Meyer – guitarra
Caine Carruthers – baixo
Mike Alonso – bateria

LINK NOS COMENTÁRIOS
LINK ON THE COMMENTS

@mvmeanstreet

5 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?95zmmz1w89zz58s

Silver disse...

Hard lado Z, aí sim!

Willian disse...

"Qualquer semelhança com Guilty, o Cavaleiro do Diabo, é mera coincidência!"

kkkkkkkkkkkkkkkkk

Muito bom o cd. Não conhecia...

Anônimo disse...

Muito legal o post!
Não conhecia a banda...
Valeu!

Anônimo disse...

Excelente!!, este vocalista me mata, aunque se aleja de lo que nos habia entregado en el primer disco de Fastway...se agradece.
Carlos