Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Angra - Fireworks [1998]


Os dois primeiros álbuns do Angra tiveram uma forte influência da música brasileira. De forma magistral, o quinteto conseguiu deixar o som com várias pitadas regionais sem perder o peso do metal que praticavam. E no segundo álbum, "Holy Land", essa tendência se tornou ainda mais marcante. Mas no álbum dessa postagem, a coisa muda um pouco de figura.

"Fireworks" é o terceiro full-length do Angra e a formação original estava a todo vapor - os músicos estavam sido reconhecidos cada vez mais por suas habilidades e o grupo estava com fama ascendente. Com a criatividade nos ares, esse disco trouxe uma abordagem um pouco diferente dos antecessores.

A sonoridade do disco traz um peso muito mais descarado que seus antecessores. Todas as músicas, do começo ao fim, são pesadas, até mesmo as canções de andamento mais lento e menos pesado. Explora-se menos dos ritmos tupiniquins e, apesar de ainda muito diferenciada, o Angra soou como uma banda de Heavy Metal direto.



Ainda há a ênfase, todavia, nas melodias. Isso não mudou, já que o som continua melódico, com aqueles clássicos refrães que crescem e com arranjos muito bem trabalhados. Todos os envolvidos mandaram muito bem, o que é de praxe nos registros do conjunto, mas o brilho dessa vez ficou, particular e principalmente, para as guitarras de Kiko Loureiro e Rafael Bittencourt.

Infelizmente, a formação original se desmanchou após a turnê de divulgação do disco, um ano após o lançamento, com a saída de Andre Matos, Luís Mariutti e Ricardo Confessori. Os motivos principais estão nos desentimentos com o empresário Antônio Pirani. Mas, pra um álbum de despedida dessa line-up, "Fireworks" cai como uma luva. Entre os destaques, constam a paulada de abertura Wings Of Reality, a grudenta Lisbon, as pesadas Speed e Metal Icarus e a excelente semi-balada que é a faixa-título.



01. Wings Of Reality
02. Petrified Eyes
03. Lisbon
04. Metal Icarus
05. Paradise
06. Mystery Machine
07. Fireworks
08. Extreme Dream
09. Gentle Change
10. Speed

Andre Matos - vocal, piano, teclados
Kiko Loureiro - guitarra, violão
Rafael Bittencourt - guitarra, violão, viola
Luis Mariutti - baixo
Ricardo Confessori - bateria, percussão

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

8 comentários:

Anônimo disse...

Angra - Fireworks [1998]

http://www.mediafire.com/?ohres60vu9nx998

jantchc disse...

é um dos discos do angra q eu menos gosto..

o q eu gosto no angra é a influencia de musica brasileira..

mas a resenha está otima;..

jesusbiblio disse...

tava ouvindo esse album ontem !!!! Acho ele bem diferente dos anteriores inclusive o estilo da gravação. Mas é tb muito bom !!!!

Fabio disse...

Para mim é o melhor do Angra. O peso e o uso de uma orquestra real são os pontos fortes. Fico imaginando como ficaria este disco com um vocalista bem agressivo, até mesmo o Edu Falaschi em sua fase Symbols. Ah, e Petrified Eyes é minha música favorita do Angra! :)

Jp disse...

Pra mim é o melhor também. Já gostei muito, foi um dos discos que mais ouvi na vida. Mas hoje quase nunca ouço. Enfim, discão!

Marcelo Colonia disse...

Não é meu favorito da fase antiga, mas tem músicas fodásticas sem dúvida. Só Metal Icarus já vale o álbum.

JORJAOFONSECA disse...

Certamente um belo disco, com produção do consagrado Chris Tsangarides,produtor do "disquinho" Painkiller do Judas,rsrsrs, que segundo entrevistas feitas com a banda na época, tem um estilo mais "clássico" de gravar,o que remete às produções dos anos 70, analógico, o que dá mais feeling à gravação, sem dúvidas um dos melhores da banda.

andreive disse...

Eu adoro esse albúm e adoro tudo o que foi gravado com o André Matos!!