Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Rush - Roll The Bones [1991]


Algumas bandas possuem fãs conservadores ao extremo. Essas figuras não toleram mudanças bruscas de direcionamento, adição de novos elementos e afins. Para o Rush, nunca foi novidade esse tipo de postura, já que seus discos, apesar de características sempre presentes, tentavam acrescentar novidades aqui e acolá, fato que transformou seu grande número de fãs em uma verdadeira fauna. Roll The Bones, seu décimo – quarto trabalho de estúdio resgata as guitarras de Alex Lifeson para a linha de frente ao mesmo tempo em que lançou uma pequena polêmica na faixa-título, que sempre será lembrada pelo “esqueleto rapper” do clipe, especialmente pelos que resistiram à idéia em plena ascenção do Hip-Hop.

Mas vamos bem além durante o trabalho. Até porque outras três faixas foram usadas como singles, mostrando que a época, definitivamente, era outra, comercialmente falando. A ótima abertura com “Dreamline” foi a primeira, ainda no ano que o disco chegou ao mercado. Também foi a única a atingir o número um nas paradas de sucesso. Já em 1992, tivemos lançamentos promocionais para “Ghost Of A Chance” (que passou raspando, alcançando o segundo posto) e “Bravado” (número 13, em homenagem ao velho Zagallo), sem contar a já citada “Roll The Bones” (nona colocada) e sua levada Pop sem perder o tino roqueiro.



As seis restantes mantém o alto nível do play, com destaque para a agitada “Face Up”, onde os teclados aparecem com mais ênfase, além de “The Big Wheel”, cuja bela introdução já vale todo o resto. A ótima instrumental “Where’s My Thing” nos faz lembrar porque estamos diante de alguns dos melhores músicos de todos os tempos, com destaque para Geddy Lee e seu baixo pulsante – aliás, em minha opinião, esse é um dos melhores álbuns dele nessa função. A dobradinha “Neurotica” e “You Bet Your Life” encerra a audição em alto nível.

Vale citar que esse é considerado, liricamente, um dos trabalhos mais sombrios da carreira do grupo, com a idéia do confronto com a morte sempre presente através de analogias das mais variadas. Roll The Bones tornou-se o primeiro álbum do Rush a entrar no Top 5 dos mais vendidos nos Estados Unidos, onde alcançou platina dupla. Desde o imortal Moving Pictures, de dez anos antes, que um trabalho da banda não chegava tão longe comercialmente no maior mercado do mundo. De um ponto de vista pessoal, trata-se de uma obra muito especial, por ter marcado a época que comecei a gostar de Rock. Mais que recomendado!

Geddy Lee (bass, vocals, keyboards, synthetizers)
Alex Lifeson (guitars)
Neil Peart (drums)

01. Dreamline
02. Bravado
03. Roll The Bones
04. Face Up
05. Where's My Thing
06. The Big Wheel
07. Heresy
08. Ghost Of A Chance
09. Neurotica
10. You Bet Your Life

Link nos comentários
Link on the comments


JAY

8 comentários:

Anônimo disse...

Rush – Roll The Bones [1991]

67 MB
192 kbps

http://www.multiupload.com/SFMTD8NK5W

Anônimo disse...

Esse é um dos álbuns do Rush que não saem do CD player. Escuto sempre, está junto de outros trabalhos em uma prateleira exclusiva de sons que escuto com muita frequência.
A vantagem de ser um admirador do Rush, é que geralmennte é um ouvinte de mente aberta, pronto para ser envolvido desde o hard rock setentista dos primeiros álbuns, passando pelo progressivo, e chegando à fase onde os teclados e sons típicos do trio marcaram presença nos anos 80.
Curto todas as fases do Rush, não há nenhuma música "mais-ou-menos" ou que pudesse ser facilmente descartada do tracklist, de qualquer álbum.
Agora, nos anos 90, um dos meus favoritos é "Test For Echo".
Porém, "Roll The Bones" é um trabalho muito consistente e agradável de se ouvir, portanto, disputa difícil com "TFE".
Essa é uma das bandas que realmente me deixará triste se encerrarem a carreira. O que espero, demore muito.
A propósito, gosto demais do "Victor", álbum-solo do Alex Lifeson. Belíssimo CD, que também é um que não sai do player.
E como esquecer do mestre Neil Peart? O cara manda tão bem, que seu trabalho-tributo a Buddy Rich também é um dos meus favoritos. Espero que Peart também faça um álbum-solo com suas músicas geniais, e suas letras fantásticas, convidando feras para cantar e tocar ao seu lado.

Uma ótima resenha, que me informou do sucesso de 3 canções bem colocadas nos States, uma info que eu não sabia.

Long Live Rock'n'Roll!

Vinicius Ramos disse...

1º álbum inteiro que ouvi do RUSH, tem uma história na minha vida. Mas pra mim o melhor é o Power Windows.

Rush é uma das minhas bandas preferidas, e to doidinho pra ir em outro show deles, já que o único no qual eu fui, pra mim foi o melhor show da minha vida. Abraço !

http://vincemaidenmaniaco.blogspot.com/

Caue Machado disse...

Tenho carinho especial por esse play, pois foi devido a ele que conheci Geddy Lee e sua trupe.
Conhecendo mais o grupo, virei fã desse multiinstrumentista.
Sentia-me lisonjeado quando diziam que eu parecia ele (na aparencia).

Ótimo disco, resenha melhor ainda.

Ricardo Brovin disse...

Rush - a banda perfeita!!!parabéns pelo post e resenha!!!

Carlos disse...

Definitivamente e muito dificil fala do Rush!!!!
Simplesmente e melhor dizer... Fantastico!!!!
Carlos Eduado(Kamelo - RJ)

jesusbiblio disse...

Rush ë minha banda favorita !! roll the bones é perfeito musicalmente e comercilamente e me lembra uma época em que ainda existia boa música. Tb comecei nesses tempos a ouvir rock, mas infelizmente rush eu conheci bem depois. LLRR !!

Hebert disse...

Cara,esse album mudo minha vida no meio musical,so tenho uma palavra a declarar,FODA