Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 26 de julho de 2011

Buddy Guy e Junior Wells – Play The Blues [1972]


Hoje acordei blues.


Também pudera. Ontem, pra fazer o filhote dormir, toquei Love in vain na viola e ele simplesmente sorriu. Para o amigo passageiro que perguntou sobre a paternidade na outra postagem, essa é a resposta: demais, vontade de ensinar tudo ao mesmo tempo agora.


O guri ainda não entende overdrive, fuzz, essas coisas. Eis que, quando botei pra tocar o disco do post de hoje, ele acalmou e abriu um sorriso. Orgulho de pai chega a ser nojento, ainda mais se considerarmos que ele tem 21 dias. Buddy Guy e Junior Wells, definitivamente, fazem a cabeça da minha família.


Lançado pela Rhino Records em 1972, o post de hoje é uma pérola produzida por ninguém menos que Eric Clapton e Ahmet Ertegun (aquele mesmo, dono da Atlantic Records e cuja morte foi homenageada por um ressuscitado Led Zeppelin no O2 Arena em 2007). A banda que acompanha a dupla é a The J. Geils Band, que simplesmente traz, no ano de 1972, um background fantástico para a guitarra de Guy e a Voz e harmônica de Wells.


O disco foi gravado em dois lugares diferentes: Criteria Studios, Miami, Florida e Intermedia Studios, Boston, Massachusetts. Isso porque o disco traz duas gravações em épocas diversas e com acompanhamentos diversos. A primeira, em 1970, traz Clapton e sua banda participando em 8 faixas. O inglês toca guitarra slide e o incansável Dr. John os acompanha ao piano. A segunda, com a já mencionada J. Geils band, resultou em apenas 2 faixas aproveitadas no play e a justificativa para um atraso de dois anos no lançamento.


A Man of Many Words abre o disco trazendo todos os licks de guitarra que fizeram a cabeça das gerações 60 e 70. Clapton, Hendrix, Page e, principalmente, Richards, beberam descaradamente na fonte. Buddy Guy empresta sua voz também para Bad Bad Whiskey, que, não por acaso, lembra uma sincera homenagem a Robert Johnson que, reza a lenda, teria morrido por ter tomado um whiskey envenenado (apesar de ele falar em pneumonia em Preaching Blues, mas aí a lenda perde a graça).


Come on in this House (have mercy baby) traz uma cadência de ritmos alternados e a maravilhosa voz de Junior Wells segurando o rojão com aquele timbre só dele. Fazer dupla com Buddy Guy e ainda assumir os vocais não é para qualquer um, e aqui Wells mostra porque está na parceria. Honeydripper é uma instrumental simplesmente linda. O piano cria uma tensão que parece que vai consumir a música, que vai estragar tudo. Mas a guitarra de Guy emerge com um toque jazz/ fusion que, acredito eu, mostrou a Jeff Beck o caminho das pedras.


I Don’t Know é a deixa para Junior Wells mostrar o que sabe fazer com uma gaita de boca. Claramente influenciada pelas composições de Willie Dixon, faz a cabeça de quem curte um Stones da fase áurea. A seguir, o big hit da dupla: Messing With The Kid. Acredito que aqui tenhamos um flerte descarado com o pop, mas sem jamais perder a maravilhosa veia blues (e nem poderia). Não mexa com o garoto. Guy deixa seu legado para o garoto Stevie Ray Vaughan, anos mais tarde, ter a sua fonte de pesquisa. Excelente.


Caro passageiro. Se você também tem um apreço pelo blues, fica meu presente de hoje. Música honestamente feita para trazer alegria a corações partidos.


Trago o relato de Irene Walker (aka Mama Rene) à National Geographic de maio de 2004 (p. 124):


“O blues está desaparecendo entre os jovens negros.

Acham que é coisa de velho. Eles permitiram que o rap os afastasse de sua própria cultura, ao passo que os jovens brancos estão se aproximando do blues.”


Vou lamentar e, parafraseando o nosso samba: não deixe o blues morrer.


Track List


1. A man of many words

2. Bad bad whiskey

3. Come on in this house (have mercy baby)

4. Honeydripper

5. I don’t know

6. Messin’ with the kid

7. My baby she left me (she left me mule to ride)

8. Poor man’s plea

9. T-Bone shuffle

10. This old fool


Buddy Guy (vocais, guitarra)

Junior Wells (vocais, harmonica)

J. Geils (guitarra)

Eric Clapton (guitarras)

Magic Dick (harmonica)

A.C. Reed (saxophone tenor)

Dr. John, Mike Utley, Seth Justman (piano)

Carl Radle, Leroy Stewart, Danny Klein (baixo)

Roosevelt Shaw, Jim Gordon, Stephen Bladd (bateria)


Link nos comentários

Link on the comments


Por Zorreiro

11 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?kvp4zd3sil23ln8

Anônimo disse...

- Pérola !!!! Thanks

Anônimo disse...

Absolutamente animal.

Anônimo disse...

"nao deixe o blues morrer"

amo o rock, mas o blues corre pelas minhas veias...

obrigatorio baixar esse disco.

O dia que Buddy Guy morrer, o mundo do Blues estará perdido. Que isso nunca aconteça então!

Valeu Zorreiro
Valeu Combe

Yusef

Ricardo Brovin disse...

fantástico!!!

Anônimo disse...

Buddy comanda........valeu pela incrivel postagem !

Anônimo disse...

belas palavras !!! valew Combe

Anônimo disse...

Mais uma vez a combe me surpreende. Sensacional esse disco!!

Anônimo disse...

Post absolutamente maravilhoso!!!!!

Sapo disse...

Combe do Iommi - sempre o melhor do melhor!

Valeu.

Anônimo disse...

Grande post!
Valeu!