Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Feinstein - Third Wish [2004]


Com seu estilo inabalável, David "Rock" Feinstein levanta o dedo médio para o modismo e faz aquilo que sabe e conhece bem: Metal Tradicional simples e objetivo. Depois de acabar com o The Rods na segunda metade dos anos 80, Feinstein largou a música e passou a se dedicar somente em cuidar do seu restaurante. Mas como quem domina o estilo nunca esquece a fórmula, o primo do Dio depois de quinze anos afastado da música, não decepcionou e gravou um disco pra ser colocado ao lado dos clássicos cults do The Rods. Feinstein foi ainda um pouco mais longe em sua história e resgatou fragmentos da sonoridade do Elf.

Para atingir esse nível de excelência, David contou com uma peça fundamental nas composições do seu debut solo, o vocalista John West (Artension, Royal Hunt, Cozy Powell). West modificou seu vocal em relação aos trabalhos anteriores que havia gravado, eliminou os "momentos Glenn Hughes" e optou por um timbre mais agudo, mostrando ser um dos vocalistas mais talentosos da década de 90, por saber, sobretudo, se adaptar ao que a sonoridade pede. Third Wish foi todo composto pela dupla West/Feinstein e apresenta composições maduras e pegajosas.

John West e David Feinstein

O Feinstein teve seu retorno 'ensaiado' em 2000 com o álbum One Night in the Jungle, onde David gravou juntamente com Jeff Howell (baixo) e Nate Horton (bateria), que estão presentes em Third Wish, play que leva a concepção do full-lenght anterior para um patamar elevado e contando com o apoio de Joey DeMaio, o resultado final foi o mais próximo possível do som oitentista. Completando a banda, ainda tem o tecladista Bob Twining, que tem uma atuação tímida e só aparece com algum destaque na faixa instrumental do disco.

Numa pegada ao estilo Power Metal oitentista, "Regeneration" abre o trabalho e mostra por que John West foi chamado para ocupar o posto de vocalista. "Rebelution" e "Live to Ride, Ride to Live" possuem riffs certeiros culminando em sons que se fossem lançados nos anos 80 possivelmente se tornariam clássicos. A faixa-título já é mais introspectiva e durante quase 10 minutos apresenta um dinamismo com partes acústicas, outras rápidas, refrão inesquecível, e uma grande similaridade com o Scorpions nos solos inicial e final.


Sabe aqueles músicos que sempre reclamam que as coisas não saíram conforme desejado? Feinstein parece ser um desses - como se todos já não fossem assim. Mas a diferença é que Feinstein não se esquiva de 'revisitar' coisas do passado, visando aperfeiçoar ou somente relembrar. "Rule the World" possui o mesmo riff de "Invincible" (do seu primeiro disco solo), tocado em um ritmo levemente alterado, e a diferença maior é a parte vocal culminante, que nem se compara. Outra diferença notável em relação ao One Night in the Jungle são os teclados, que naquele disco ficaram altos e aqui fazem camas quase imperceptíveis.

O mais próximo que esse álbum chega do Heavy Metal com pegada Rock 'n Roll do The Rods é durante "Masquerade". Quando entra o riff, aqueles que conhecem o clássico debut do Rods irão pensar que será executado um cover de "Power Lover". Na verdade, é apenas outro aperfeiçoamento do passado. "Poison Ivy" com sua pegada Blueseira volta ainda mais no tempo. Por mais que esse Blues seja bem diferente daquele que Feinstein fazia ao lado de Dio no Elf, não tem como deixar de relembrar essa época de sua carreira. O Metal Tradicional volta em "Firefighter" e os músicos têm espaço pra demonstrar suas habilidades no encerramento com o instrumental "Inferno".



Muitos podem acusar esse trabalho de ser saudosista demais, mas antes de qualquer coisa, deveriam perceber a devoção empregada nas músicas. Third Wish leva o ouvinte às origens através de composições feitas com garra e demonstra honestidade de sobra ao estilo que se destina. E o talento de John West é um atrativo à parte, suprindo a carência do trabalho anterior. Se depender de Feinstein, o estilo pode ficar escasso, mas jamais esquecido, pois como diria em uma das linhas do cd: "a alma do Metal foi trazida de volta à vida".

01. Regeneration
02. Rebelution
03. Streaming Star
04. Third Wish
05. Rule the World
06. Masquerade
07. Far Beyond
08. Poison Ivy
09. Live to Ride, Ride to Live
10. Firefighter
11. Inferno

John West - vocal
David Feinstein - guitar
Jeff Howell - bass
Nate Horton - drums
Bob Twining - keyboards

Rick Harris - acoustic guitar on "Third Wish"
Matt Barnes - additional keyboards

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar

Da esq. para dir.: Nate Horton, John West, David Feinstein, Jeff Howell & Bob Twining

16 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?ih7cr8sbo28icmd

Silence disse...

Nunca parei pra prestar atenção no trabalho dele, baixando pra conferir.

Arnaldão disse...

BIG MCH FCK POST !!! Valeu !!!

jantchc disse...

tb nunca tinha parado pra ouvir o gente fina ora do elf

mas o cd solo dele deste ano ta na lista de melhores do ano de todo mundo, e ta na minha fila pra ouvir, vou baixar este e ver com ele se sai..

valeu..

Marcos Pivetta disse...

um classico para os amantes do metal tradicional! aquele que vc fecha os os olhos e viaja no som de tão foda!

Gus disse...

baixando pra conferir!

\m/

jullecosta disse...

no royal hunt prefiro dc.cooper,vou conferir o west solo e depois tiro minhas conclusões

Anônimo disse...

E ai DRAG, blz?baixei e gostei, curti o The Rods-Wild Dogs, ainda tenho o vinil que comprei logo que saiu e não conseguia parar de ouvir, muito bom, ainda bem que saiu este novo trabalho pra dar continuidade na sonzeira do cara, será que o pai do mestre 'DIO' não deu um pulo na casa da mãe do Feinstein?o fela é a cara do "primo" e aida faz pose de DIO, abraço e tudo de bom no Natal e no Ano que se aproxima, do tiozão CHOPÃO.

Anônimo disse...

Venho pedir um post, please, seria possivel postar o novo do Santana-de covers?parece que ta muito bom seria uma boa aqui no blog, tks desde já,CHOPÃO.

Anônimo disse...

Putz vi o cara pensei parece o dio dpois q eu lendo um pouco mais fui ver q eh o primo dle asuhdahsud baxando pra conferir o trabalho do cara hehe

phdesenhista disse...

Putz! Valeu mesmo, era isso que eu precisava agora no final do ano metal tradicional.
Cara, gostei bastante do disco, John West cantando pra caramba e o Feinstein nem se fala.

Remus Silva disse...

Saudosismo ou não,é um trabalho digno de ser aplaudido de pé.
Tem muita gente que se diz boa no estilo e não consegue nem a mentade disso.
Graças ao bom Deus, bandas como esta vem a nós em pleno seculo XXI para mostra que: "o que é bom nunca morre".
Tenho Dito!

Isaura disse...

Uma viagem aos anos 80, mas sem imitação ou mesmice,som da maior qualidade.....

Isaura disse...

Uma viagem aos anos 80,dogo, do que de melhor foi feito nos anos 80...lembra,por exemplo,primeiros trabalhos de Dio aomsair do Sabbath,mas sem ´cópias ou mesmice.....muita qualidade e sofisticação.

Isaura disse...

Uma viagem aos anos 80, mas sem imitação ou mesmice,som da maior qualidade.....

Anônimo disse...

Pirei em Streaming Star. Downloading...