Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Krux - Krux [2002]


Sabe por que o Entombed se tornou um dos maiores ícones do Death Metal e criou um subgênero tão original que poucos ousam copiar? Olhe o currículo dos integrantes, ou melhor, ouça o que os caras mandam fora da banda que irá descobrir que se trata de músicos de uma categoria singular e com a cabeça aberta, produzindo de tudo um pouco no cenário extremo. A mais conhecida cria do Entombed é o The Hellacopters, mas existem vários projetos e bandas com qualidade semelhante, vide algumas que já foram postadas aqui, como Vicious Art, Disfear e Haystack. Agora é a vez do Krux.

Liderado pela cozinha mais duradoura do Entombed, Jörgen Sandström (baixo) e Peter Stjärnvind (bateria), o Krux pratica um Doom Metal há muito esquecido. Com a diferença que, Jörgen assume as guitarras no Krux. Completando a formação, ninguém menos que a maior entidade do estilo, Leif Edling (baixo) do Candlemass e o pau pra toda obra Mats Levén (vide Combest Of). Além de o disco contar com a participação do guitarrista Fredrik Akesson (Talisman, Arch Enemy, Tiamat) executando todos os solos, e que seria efetivado na banda no segundo álbum.

O debut auto-intitulado foi idealizado por Leif Edling, que a exemplo de Lemmy Kilmister e Angus Young, sempre faz a "mesma coisa", mas como todo bom gênio, tem a coerência de fazer com que suas composições nunca soem recicladas ou repetitivas. Os sons aqui são cobertos por uma atmosfera densa, soturna e carregada de uma frieza que remete às origens do Doom Metal. Outro aspecto interessante são as letras bem sinistras e que no álbum seguinte ganhariam concessões satânicas. Alguns temas contidos aqui remetem às idéias abstratas que Edling desenvolveu nos discos From The 13th Sun e Dactylis Glomerata do Candlemass.


A memória do Black Sabbath (fase Ozzy) é honrada em composições como "Black Room", "Nimis" e "Enigma EZB" que possui um instrumental captado da essência do Psalm 9 do Trouble (uma das grandes preciosidades do estilo) e linhas vocais remetentes aos primórdios do Sabbath. Pro clima fúnebre fica ainda mais completo nada melhor do que um psicodelismo pra dá um clima tristonho, e "Sibiria" se encarrega disso. Uma curta música que lembra o Pink Floyd da fase Syd Barret. E o Stoner Rock marca presença na faixa-título, lembrando a pegada do Cathedral no The Carnival Bizarre.

A crueza característica do Doom é misturada aos efeitos de ventos, sussurros e sintetizadores assombrosos em "Omfalos", na qual Edling mais uma vez se mostra um letrista único e resgata temas remotos, mas de grande valia intelectual. Como nesse caso, que discorre sobre a pedra cósmica do exórdio da humanidade que se acreditava fazer a comunicação entre o mundo dos mortos, dos homens e dos deuses, levando ao pilar de várias culturas, como a grega, judaica e muçulmana. Em seguida, Mats Levén se apodera de "Popocatépetl" com um refrão encantador. E o atordoamento chega ao fim na suíte "Lunochod", com seus mais de doze minutos de uma peça mística dividida em oito partes resultando no maior épico do Doom clássico da década passada.

Mesmo com grandes lançamentos do estilo oferecidos por Candlemass, Troube, Solitude Aeturnus, The Last Chapter, e o magnífico disco solo de Edling, nada supera esse primeiro full-lenght do Krux nos anos 2000. Leif Edling que sempre foi consolidado como o compositor mais produtivo do Doom Metal, agora não deixa mais dúvida de que é o principal ícone do gênero, pois seu estilo de composição passou a ser referência-mor do Doom Metal. O Krux ainda teve a 'responsa' de registrar o primeiro show em dvd, onde fica muito claro a honestidade de não utilizar overdubs. Quer mais o que?
REVOLUTION AND DOOM!



01 - Black Room
02 - Krux
03 - Nimis
04 - Sibiria
05 - Omfalos
06 - Enigma EZB
07 - Popocatépetl
08 - Evel Rifaz
09 - Lunochod I - VII

Mats Levén - vocal
Jörgen Sandström - guitar
Leif Edling - bass
Peter Stjärnvind - drums

Fredrik Akesson - lead guitar
Carl Westholm - keyboards

(Links nos comentários - links on the comments)

Dragztripztar

Da esq. para dir.: Jörgen Sandström, Leif Edling, Mats Levén & Peter Stjärnvind

7 comentários:

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?zp5yvcacddvkbp8

Anônimo disse...

E Entombed,vão postar quando?Podiam começar com o "Left Hand Path",simplesmente o maior clássico do death metal sueco.Claro que não estou me referindo ao "death" metal sueco pós merdas tipo In Flames.Mas sim à velha guarda do mesmo.

Anônimo disse...

Cara, não conhecia o Krux. Mas é o tipo de som que eu curto pra kct. Meio DOOM, meio Stoner, excelente.

Obrigado pelo petardo.

Dragztripztar disse...

Verdade, se tem uma banda que eu me comprometo em postar é o Entombed. Inclusive, to com um post pronto de um clássico do Death sueco, mas acho que devo postar Entombed antes ;)

Anônimo disse...

Obrigado por sempre postar coisas boas!

jantchc disse...

não gosto muito de doom, mas o clipe postado é muito foda..

dowload obrigatorio..

valeu..

Anônimo disse...

Valeu ai Drag , não conhecia o KRUX sonzeira du kralho, curto muito este estilo(Candlemass, Trouble) parabens pela surpresa a galera do metal agradece, tks abraço do tiozão CHOPÃO.