Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Danger Danger - The Return Of The Great Gildersleeves [2000]


O quinto álbum do Danger Danger é especial para quem vos escreve. Foi o responsável por me apresentar quem é a banda. Curioso, pois a grande maioria conheceu e ainda conhece pelos primeiros trabalhos - os mais conhecidos. Mas, obviamente, isso não tira a glória dos outros lançamentos, principalmente a se considerar que esse e todos desse período foram lançados de forma completamente independente, em tempos onde o Hard e o AOR tinham poucos representantes ao redor do mundo.

"The Return Of The Great Gildersleeves" é um desenvolvimento do que foi apresentado em seu antecessor, o também ótimo "Four The Hard Way". Mas, agora, com maior consistência, já que das onze faixas, apenas duas foram extraídas do futuramente lançado "Cockroach".

Outra vantagem é que, em "The Return", a sonoridade aqui encontrada está mais resolvida e linear, pois no anterior, haviam pulos drásticos entre o Rock moderno e o Hard Rock farofeiro. Neste registro, não há apenas a perfeita união entre os dois gêneros, como uma notável influência do AOR, devido à maior presença de teclados e maior ênfase melódica nas composições.



Apesar de tantos músicos competentes estarem envolvidos, sem dúvidas o destaque é Paul Laine. O vocalista deu nova roupagem ao Danger Danger assim como Sammy Hagar fez com o Van Halen - e por mais que haja choradeira, antes isso do que ficar numa mesmice fadada ao fracasso. Em pleno ano 2000, não dá mais pra falar sobre "estar com tesão" e fazer baladas altamente açucaradas como há 10 anos. E o canadense canta muito. Trata-se de um dos vocalistas mais subestimados do gênero, pois tem um controle absurdo de sua voz, grande alcance, vocal firme e bastante feeling.

Toda a banda, em contrapartida, está impecável. A dupla Bruno Ravel (baixo) e Steve West (bateria) definitivamente não falha, formando uma das mais competentes cozinhas do estilo: não apenas no instrumental, como no autoral, pois chefiam a grande maioria das composições. Os convidados Tony Bruno e Lance Quinn mandam brasa, principalmente por Rey, certeiro em seus solos. Andy Timmons participou apenas das faixas 2 e 10, que saíram no "Cockroach", e mesmo assim fez bonito.

No geral, cabem destaques para as pauladas "Six Million Dollar Man" e "Grind", para as baladas "My Secret" e "She's Gone" e para as roqueiras "Dead Drunk & Wasted" e "Cherry Cherry".



01. Grind
02. When She's Good She's Good (When She's Bad She's Better)
03. Six Million Dollar Man
04. She's Gone
05. Dead Drunk And Wasted
06. Dead Dog
07. I Do
08. My Secret
09. Cherry Cherry
10. Get In The Ring
11. Walk It Like Ya Talk It

Paul Laine - vocal, teclados, guitarra adicional
Bruno Ravel - baixo, teclados, guitarra adicional, backing vocals
Steve West - bateria, percussão

Músicos adicionais:
Tony Bruno - guitarra, teclados
Andy Timmons - guitarra e backing vocals em 2 e 11
Lance Quinn - teclados

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

4 comentários:

Anônimo disse...

The Return Of The Great Gildersleeves [2000]

Link:
http://www.mediafire.com/?961a9yx421ekgpu

Dragztripztar disse...

Eu acho esse disco mais moderno que o Four the Hard Way. Curto só duas músicas: Dead Dog e Walk It Like Ya Talk It - sendo que a última nem foi composta para esse disco. E simpatizo com mais algumas, hehe.

Considero o mais fraco do Danger Danger, mas quem gosta de Hard e Danger Danger tem a obrigação de conhecer.

Tiago disse...

Valeu combe! Mais uma banda da hora que eu conheço graças ao trabalho de vocês!

Anônimo disse...

Danger Danger manda muito! Esse disco talvez não tenha o mesmo brilho do 1° e do 2° da carreira deles, mas tem seu valor.