Lembre-se

Comentar em alguma postagem não irá lhe custar mais do que alguns segundos. Não seja um sanguessuga - COMENTE nas postagens que apreciar!

Os links para download estão nos comentários de cada postagem.

Acesse: www.vandohalen.com.br

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Kiss - Nashville 1984 [1984]


A notícia da prisão de Vinnie Vincent por agredir sua esposa e todos os rolos que se envolvem nisso, como quatro cachorros mortos guardados em sua casa e a fiança de 10 mil dólares que teve que pagar para ser libertado, já giraram o mundo do Rock. O homem se inativou do meio musical e as únicas notícias que se tinham dele eram seus processos contra o Kiss (que perdeu todos) e o recente lançamento de sua linha de guitarras (em que não apareceu no evento de lançamento, na NAMM deste ano).

O fato é que, apesar de ser um músico completo e um dos talentos mais injustiçados no meio da música pesada, Vinnie Vincent é um louco. Conseguiu estragar sua promissora carreira graças ao seu gênio difícil, inicialmente ao tentar mandar mais que Gene Simmons e Paul Stanley durante sua estadia no Kiss, posteriormente ao ser chutado de sua própria banda solo porque os integrantes e a gravadora simplesmente não o aguentavam mais. Além disso, se envolveu em outros inúmeros escândalos que nem compensam ser citados, pois tomariam grande parte deste texto.

Foto de Vinnie Vincent na delegacia. Não confunda com sua tia.

Resta aos fãs apreciar o que Vincent deixou registrado em seu período produtivo, até porque, depois disso, a possibilidade de voltar ao meio musical passou de "nula" para "negativa". E, sem dúvidas, o período com o Kiss foi o mais aplausível da carreira do guitarrista. A sua entrada, em 1982, para substituir o desanimado e dependente Ace Frehley, deu sangue novo para o grupo, que passava por momentos difíceis em se tratando de vendas e público por conta de discos como "Unmasked" e "Music From 'The Elder'".

Vinnie Vincent colaborou em uma parte de "Creatures Of The Night", hoje um dos prediletos dos fãs: co-escreveu I Love It Loud, I Still Love You e Killer, além de tocar guitarra em algumas outras faixas. A turnê de divulgação foi um fiasco nos Estados Unidos mas é lembrada com carinho pelos brasileiros, pois lotou os estádios do Maracanã, Mineirão e Morumbi. O álbum seguinte, "Lick It Up", foi um sucesso principalmente por conta da retirada das maquiagens, e foi aí que Vincent brilhou ao liderar as composições (co-escreveu 8 de 10 canções), destilar poderosas linhas de guitarra e se mostrar cada vez mais imponente ao vivo. E, de fato, não há registro melhor que este para provar minha última afirmação.


A incrível bootleg dessa postagem foi gravada em 11 de janeiro de 1984, no Nashville Municipal Auditorium da cidade norte-americana de Nashville, Tennessee, Estados Unidos. Se já rolavam desentendimentos, só Deus sabe. Mas a energia e o entrosamento do quarteto em cima do palco era sensacional. A banda estava afiadíssima, revigorada e nem aí para o seu passado, pois contava com um presente diferente e muito bom.

Em ótima fase, o grande performer Paul Stanley manda ver com vocais poderosos. Apesar de Gene Simmons estar visualmente deslocado e desconfortável nessa época, também manda muito bem. A dupla de "novatos" Vinnie Vincent e Eric Carr trucida do início ao fim com velocidade e disposição. Os dois parecem ser amigos de longa data, que tocavam desde crianças.



O set-list reflete a boa fase, visto que não foi construído com a intenção de fazer um revival. Clássicos como Cold Gin, Detroit Rock City, Rock And Roll All Nite e Love Gun não poderiam ficar de fora, mas a nova fase do Kiss ficou exaltada por canções dos dois últimos discos, que vão desde as "classicas de nascença" Lick It Up, War Machine e I Love It Loud até aquelas esquecidas em repertórios posteriores, como Gimme More e All Hell's Breakin' Loose.

Músicos com performance matadora, seleção de músicas de se tirar o fôlego e qualidade de som beirando a perfeição - o show foi captado diretamente da mesa de som. Quer mais o quê? Que Vinnie Vincent tome vergonha na cara? Confira já!



01. Intro
02. Creatures Of The Night
03. Detroit Rock City
04. Cold Gin
05. Fits Like A Glove
06. Firehouse
07. Gimme More
08. War Machine
09. Gene Simmons Bass Solo
10. I Love It Loud
11. I Still Love You
12. Eric Carr Drum Solo
13. Young And Wasted
14. Love Gun
15. All Hell's Breakin' Loose
16. Black Diamond
17. Lick It Up
18. Rock And Roll All Nite

Paul Stanley - vocal, guitarra
Gene Simmons - vocal, baixo
Vinnie Vincent - guitarra, backing vocals
Eric Carr - vocal, bateria

(Links nos comentários - links on the comments)

by Silver

10 comentários:

Anônimo disse...

Kiss - Nashville 1984 [1984]

http://www.mediafire.com/?n74yrveb15cgncv

Anônimo disse...

Muito bom!

É realmente inegável que vocês formam o blog de rock mais importante da internet!

E é muito sinistro isso que aconteceu com ele. Eu não costumo fazer previsões, até porque elas não fazem sentido, mas acho que, pra esse cara, acabou! Já era.

Eu já tive uma experiência muito ruim de tocar com algumas pessoas que gostam desse tipo de hard rock e que tem algumas incursões pelo melódico. Acho inacreditável, e muito inculto mesmo, que uma pessoa atinja um ego desse tamanho, fazendo esse tipo de música.

Não que sejam ruins, ou eu mesmo esteja querendo ser pedante. Mas imagino uma pessoa dessas em uma oficina bem puxada de teatro, em um conservatório, etc.

Em suma, acho muito pouco. Pessoas assim deveriam estudar mais, e conhecer mais coisas. Acredito que uma boa noção da dimensão do conhecimento já produzido pelo homem as deixaria mais calmas.

Abraços!

Anônimo disse...

WTF comentário acima.

Dynasty disse...

Sinceramente, sou fanzaço do Vinnie. Uma pena que isto tenha acontecido. Este show de Neshville, é um dos shows que eu mais curto. Abraço a todos na Combi.

Eric Wilton disse...

Muito bom, download obrigatório.
Valew combe!!

Anônimo disse...

Depois do Ace, que pra mim é Deus, Vinnie é meu favorito no KISS. Triste fim.

Anônimo disse...

Sobre o comentario acima, claro, meu favorito na guitarra solo.

Anônimo disse...

Que chato isso que aconteceu com o Vinnie, sua esposa e os cães. É triste. Para o cara sair dessa, sugiro que ele venha ao Brasil, passe uma temporada por aqui, visitando os lugares mais pobres e desassistidos pelo governo, que faça trabalhos voluntários na África ou Haiti (como o Charlie Sheen disse que faria), ou mesmo dar uma força para ajudar na reconstrução das moradias devastadas pelos tornados em Oklahoma e Missouri. Digo isso tudo para que não se percam as esperanças de um dia o Vinnie reconstruir sua vida, sua carreira e quem sabe, ter um futuro melhor do que esse que ele praticamente arruinou. Acredito que há chances de ele se tornar novamente um músico respeitado e uma pessoa digna. Torço para que as pessoas que passem por situações complicadas como a de Vinnie, perserverem e reconquistem seu espaço. Quer melhor exemplo de luta que o nosso querido Jason Becker?
É nele que devemos nos espelhar se quisermos ser lutadores de verdade.
Quanto ao conjunto de sua obra, Vinnie não tem porque se envergonhar, muito pelo contrário, seus trabalhos mostram claramente que ele é um talento e isso é uma mostra de que existe um futuro brilhante ainda. Aprecio a sonoridade das guitarras, os solos, a musicalidade e as músicas que ele executou no Kiss e em VVI.
Só não curtia o visual excessivamente glam, mas os álbums-solo mostravam que Vinnie realmente era um ótimo músico.
Tempo ao tempo, e que as coisas se arrumem!

Long Live Rock'n'Roll!

Ricardo Brovin disse...

O cara pode ser um bosta, mas o que importa é o trampo!!!Rock porra!!!

Vinnie Von disse...

Adoro a fase de Vinnie Vincent no KISS, portanto pra mim o download desse boot é obrigatório! Mais uma vez: Valeu Combe!